Páginas

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

INTERDIÇÃO DE INDIOS NA RODOVIA BR - 163 JÁ DURA NOVE DIAS

Trecho próximo a Itaituba, que era interditado por trabalhadores rurais, já foi liberado


Os índios Kaiapó continuam bloqueando a rodovia BR-163, na altura do município Novo Progresso, no sudoeste paraense. Nesta quinta-feira (25) o protesto completa nove dias. Os indígenas estão liberando a rodovia a cada 12 horas, mas a fila de caminhões já ultrapassa 20 quilômetros. A PRF (Polícia Rodoviária Federal) continua no local e dá apoio aos motoristas, principalmente de caminhões. Na manhã de ontem (24), um grupo de caminhoneiros bloqueou a entrada do município e reclamou da perda de cargas perecíveis.
Os Kaiapó pedem benfeitorias nas aldeias da região e a conclusão da nova Casa de Saúde Indígena. O grupo diz que só deixará o local quando conseguir negociar com um representante da Funai. 

Segundo a Funai (Fundação Nacional do Índio), os índios enviaram uma carta propondo uma reunião para hoje, em Santarém, com representantes dos ministérios públicos estadual e federal, DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Comitê Gestor da Celpa, lideranças Munduruku e Exército. Mas, em nota enviada à imprensa, a Funai informou que há limitações financeiras que impedem que o pleito das lideranças indígenas seja atendido de imediato e reiterou a proposta de uma reunião em Brasília para o dia 21 de março.
Quanto à construção da casa indígena, a Funai afirmou que a responsabilidade é da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indigena).
Trecho liberado
Os trabalhadores rurais que realizavam outro protesto na mesma rodovia, próximo à comunidade de Moraes Almeida, a 300 quilômetros do município de Itaituba, encerraram o bloqueio no início da noite de ontem (24). Eles pediam a recuperação de estradas vicinais, saneamento e estrutura na área e entraram em acordo com o Incra. 

Por: Redação ORM News

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o site Talento Noticias não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!