Páginas

terça-feira, 1 de abril de 2014

GOLPE

Na manhã de 31 de março de 1964 as pessoas olham com curiosidade de quem assiste a um filme interessante a chegada de blindados, tanques e militares diante da sede do Ministério da guerra no Rio de Janeiro e também em Brasília possivelmente a maioria não fazia ideia que toda aquela movimentação fazia parte de um inédito Golpe de estado e o primeiro passo para a instalação da Ditadura militar no país que teria seu fim apenas em 1985.
Esse período foi marcado pela truculência dos militares, pelo fechamento de jornais, rádios, parlamento, censura, suspensão de direitos, prisões arbitrárias, tortura, exílio, atentados terroristas forjados e muitas mortes. Mas, também foi marcado pela resistência de algumas áreas da sociedade como os estudantes através da UNE (União nacional dos estudantes).
Hoje, 01 de abril de 2014 completa 50 anos do início de um período escuro para o Brasil. Infelizmente hoje algumas poucas pessoas ainda evocam a ditadura como um bom período político do Brasil onde não havia corrupção, na verdade havia tanta corrupção como hoje o problema ou solução para que as corrupções não fossem divulgadas a imprensa de um modo geral foi calada pela presença de sensores nas redações de jornais os quais obrigavam jornalistas a publicar diariamente versões de Camões para manter as páginas de jornais completas e o povo sem saber o que estava acontecendo.
Dizem também poucos que não haviam tantos roubos e mortes como hoje, talvez roubos não pois, o exército estava nas ruas, era atuante, mas mortes com certeza havia e muitas. A ditadura deveria voltar para acabar com isso dizem alguns. Mas, eu pergunto: A solução está apenas na severidade da lei? É claro que não. A severidade da lei é apenas uma parte do processo de justiça, a solução na verdade está na aplicação da lei. Não adianta severidade se o judiciário tem mãos laças. Não adianta o rigor da lei ante a um judiciário que os franceses chamam de ”laissez faire” (Deixa fazer).

Não é admissível hoje que se quer seja cogitada a volta da ditadura como regime de governo. Olhem para a Venezuela, Países africanos, Árabes e entenderão.

6 comentários:

  1. Aqui em Uruará a ditadura não acabou ainda. Político fica sem pagar salário de funcionário e não acontece nada, o outra a justiça manda pagar e ele não paga, ou seja, ainda estamos nesse período.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Até hoje os funcionários públicos sofrem pelo roubo que o Eraldo Pimenta fez. Agora ele está inaugurando rádios em vários município com o dinheiro roubado de Uruará, além disso está se preparando para ser candidato a deputado estadual e a justiça continua cega. Será que a população de Uruará vai se dobrar a corrupção e votar novamente no bandido do Eraldo?
      Acredito se o povo votar nele é porque merece tudo o que ele fez e quando retornar fará muito pior pois ele é mau, vingativo e desumano.

      Excluir
    2. Penso que como o atual prefeito de Uruará não inaugura nada, o Governador do Estado também não inaugura nada que mal tem o guerreiro inaugurar algumas rádios por aí?

      Excluir
    3. Tá certo, Eraldo continua inaugurando obras, agora e muito mais quando for o prefeito de novo pra mostrar pra esse puxa como é que se administra.

      Excluir
    4. Inaugurando obras com o dinheiro que ele roubou dos funcionários e obras inacabadas que ele deixou em Uruará. Vcs pensando desta forma é compactuar com a corrupção seus ladrões.

      Excluir
  2. Fala Dan Dan, beleza. Sou fã do seu blog leio todo dia, sei que essa matéria não é sobre o assunto mas gostaria de fazer uma sugestão: Porque você não faz uma matéria sobre essa onda de DPVAT que tá na cidade? Os caras tão abordando as pessoas pra incentivar cobrar DPVAT isso tá virando quadrilha meu irmão.

    ResponderExcluir

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o site Talento Noticias não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!